TRAD – Entrevista com Scott Westerfeld – blog Jasonnahrung

2 set

SCOTT Westerfeld é o autor de cinco livros para adultos e 13 para jovens adultos, incluindo os bestsellers do New York Times, séries Feios e Leviatã. O citado por último foi ilustrado por Keith Thompson, e o primeiro acaba de ser adaptado em uma história em quadrinho roterizado por Devin Grayson, com arte de Stephen Cummings. O trabalho em progresso de Scott é um romance meta-paranormal. Encontre Scott online em scottwesterfeld.com.

O quanto empolgante é ver Feios ganhar um tratamento mangá — sinal de mais mudanças de plataformas vindo?

Eu sempre quis reescrever a série do ponto de vista da Shay, simplesmente como um exercício de perspectiva, mas pareceu um pouco idiota recontar uma história que já contei. Mas quando a ideia de uma adaptação em história em quadrinho apareceu, percebi que um meio diferente seria o lugar certo para efetivar a troca de perspectiva. Estou trabalhando em uma história em quadrinho original no momento, tendo observado Devin Grayson adaptar minha outline (visão geral do que tem que acontecer na estória) para Shay’s Story.

Quando você estava escrevendo sua série Leviatã (que inclui ilustrações), esperava que fosse ser um hit da moda em termos de fan art? (Notei que Feios parece bem popular, também…)

Muitas pessoas acham que adicionar ilustrações ao livro o deixa mais jovem, mas na verdade apenas significa atingir um grupo diferente de leitores: aqueles com tendências mais visuais, várias dos quais vêm com tradições de mangá e histórias em quadrinhos. Então, sim, há muito mais fan art e cosplays para Leviatã do que para qualquer um dos meus livros. Realmente, muda o tipo de pergunta que os leitores fazem. Quais são as cores dominantes nesta sociedade? Como as pessoas se vestem para o café da manhã? Como as fan fictions, o fan art abre incontáveis novas panelas de peixes e deixa o mundo do livro muito maior.

Você estava num painel sobre ficção fantástica no Sydney Writers Festival (Festival de Escritores de Sidney). Quais são algumas ideias chaves sobre escrever fantasia e ficção científica?

Construção de mundo é uma preocupação fundamental do nosso gênero. Escrita especulativa muito frequentemente começa com um mundo e deixa as histórias, personagens e conflitos saírem desse mundo.

Quais trabalhos Australianos você tem amado recentemente?

Sea Hearts é um leitura gloriosa. É cheia de frases adoráveis, como se esperaria de Margo Lanagan, mas é uma das poucas sagas multi-geracionais que li  e que não perde sua essência com o passar das décadas. O cenário da ilha descoberta é tão imutável e inescapável que a história pode durar um século e ainda assim você sempre sabe exatamente onde é.

Também estou gostando de Library of Forgotten Books, uma coleção de Rjurik Davidson. As curtas histórias são todas com uma atmosfera obscura, ambas em seus temas e suas linguagens, o que as dá um impacto que é mais parecido com um romance do que uma curta.

Qual foi uma das maiores mudanças na ficção especulativa Australiana nos últimos dois anos desde a Aussiecon 4?

Não sei.

Fonte: Blog Jasonnahrung

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: